quarta-feira, 28 de março de 2018

Aonde vamos chegar....


Complexo Esportivo Canhoteiro em São Luís sofre com a falta de infraestrutura
Em 2017, foram anunciadas obras de revitalização no complexo que nunca foram realizadas. Hoje, o local destinado a prática de esportes sofre com a falta de manutenção e o descaso do poder público.



s
O Complexo Esportivo Canhoteiro localizado próximo aos estádios Castelão e Castelinho no bairro Outeiro da Cruz, em São Luís, sofre há mais de dez décadas com o abandono e a falta de manutenção. O local que já foi palco de grandes competições do esporte maranhense atualmente convive com graves problemas estruturais e a insegurança.
As duas piscinas do complexo, a de salto e a olímpica estão com água parada e muita sujeira, além de problemas estruturais dentro e fora do local. A água acumulada pode servir de criadouro para o mosquito Aedes aegypti, causador de doenças como dengue, zika vírus e febre chinkungunya, colocando em risco a saúde dos moradores que vivem próximo as piscinas e de quem frequenta o local para realizar atividade física.

E os problemas são visíveis em quase toda a extensão do complexo. As rachaduras tomam conta de toda a extensão das arquibancadas, que já não tem mais teto que foi causado por um desabamento no local, causado pela falta de manutenção na estrutura do local. A estrutura de ferro que sustentava o teto está completamente enferrujado e retorcido. Além disso, o mato toma conta de toda a extensão do local facilitando a ação de criminosos, que se escondem no local para cometer assaltos na região.


Por falta de manutenção, a área destinada a prática de Beach Soccer hoje em dia parece mais uma grande piscina. Quando chove, o local a arena alaga já que não há mais um sistema de escoamento eficiente da água.
Na entrada do complexo, foi colocada uma grande placa pelo Governo do Maranhão anunciando o início das obras de revitalização no local, que deveriam começar em junho do ano passado e terminar em janeiro deste ano, mas a obra nunca saiu do papel. Praticantes de atividade física no local reclamam das promessas de revitalização do local e pedem que o local seja reformado.

Em 2017, o G1 denunciou os problemas estruturais no local e na época, a Secretaria de Esporte e Lazer (SEDEL) informou que havia assinado um convênio com a Caixa Econômica Federal para a realização da reforma no complexo, mas a obra não foi realizada.
G1 entrou em contato com o Governo do Estado e a Secretaria de Esporte e Lazer (SEDEL) que ainda não se manifestaram sobre o caso.Piscina olímpica sofre com o abandono e a falta de manutenção. (Foto: Reprodução/TV Mirante)
Estrutura de ferro que sustentava o teto que cobria as arquibancadas está enferrujado e uma parte desabou. (Foto: Reprodução/TV Mirante)
Piscina de saltos do complexo está com água suja e parada e não recebe manutenção há anos. (Foto: Reprodução/TV Mirante)
·    


Nenhum comentário:

Postar um comentário